O que um elevador para cadeirante precisa ter?

O elevador para melhorar a acessibilidade de pessoas com mobilidade reduzida é uma solução eficiente para garantir a acessibilidade em prédios e edifícios com mais de um andar. A acessibilidade é um direito garantido por lei, que deve ser assegurado a todas as pessoas, independentemente de suas limitações físicas. 

Muitas vezes, a falta de estrutura adequada impede que as pessoas com mobilidade reduzida tenham acesso a locais e serviços públicos. Por isso, o elevador que garante a acessibilidade é projetado especificamente para atender as necessidades de pessoas com estas necessidades, permitindo que elas possam se locomover com segurança e autonomia.

Neste artigo, explicaremos tudo que o elevador para cadeirante precisa ter e a importância de ter um elevador com esta finalidade em um estabelecimento!

A importância do elevador com acessibilidade

No Brasil, a Lei nº 10.098/2000, mais conhecida como a Lei de Acessibilidade, prevê uma série de requisitos que devem ser cumpridos pelos elevadores para garantir a acessibilidade de pessoas com deficiência e mobilidade reduzida.

Esses requisitos incluem, por exemplo, a largura mínima da porta do elevador, a altura do painel de operação da cabina e a sinalização tátil para pessoas com deficiência visual. Além disso, é obrigatório que os elevadores tenham espaço suficiente para comportar uma cadeira de rodas.

Essas e outras medidas estabelecidas pelas normas visam a garantir que as pessoas com mobilidade reduzida e/ou necessidades especiais tenham autonomia e segurança para utilizar os elevadores em qualquer lugar, sem precisar da ajuda de terceiros. 

É importante lembrar que a acessibilidade é um direito fundamental e deve ser garantido por todos os setores da sociedade, incluindo os edifícios e prédios públicos ou privados. Por isso, é fundamental que os elevadores estejam de acordo com a Lei de Acessibilidade, a fim de que todos possam usufruir dos serviços disponíveis.

Embora a acessibilidade seja um direito fundamental e deva ser garantida a todas as pessoas, muitos edifícios não estão preparados para garantir isso. 

Nesse contexto, os elevadores acessíveis desempenham um papel crucial na inclusão dessas pessoas, permitindo que elas se desloquem com segurança e autonomia. 

Os elevadores acessíveis contribuem para a promoção da igualdade de oportunidades, possibilitando que as pessoas com necessidades especiais possam desempenhar suas atividades diárias com independência e dignidade.

Vale destacar ainda que a inclusão das pessoas com deficiência física é uma questão de justiça social e deve ser prioridade em todas as esferas da sociedade. A implementação de medidas para garantir a acessibilidade em edifícios e prédios públicos é um passo importante nesse sentido, pois contribui para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária para todos.

A Otis se orgulha de fazer parte disso e oferecer elevadores que são acessíveis a todas as pessoas, e que promovem a inclusão social de pessoas com mobilidade reduzida.

O que um elevador para cadeirantes deve ter?

Para que um elevador seja acessível, é importante que ele atenda a certos requisitos estabelecidos pela Lei de Acessibilidade e também pelas regras da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Veja a seguir quais são as regras para um elevador projetado para a acessibilidade:

Largura mínima da porta: a porta do elevador deve ter uma largura mínima de 80 cm para permitir a passagem de uma cadeira de rodas.

Altura do painel de operação da cabina: este painel deve estar instalado em uma altura acessível para as pessoas com cadeira de rodas, onde os botões de operação devem estar entre 90 cm e 1,20 m do piso da cabina.

Sinalização tátil (Braile): o elevador deve possuir sinalização tátil para auxiliar as pessoas com deficiência visual a identificar os botões de controle.

Corrimão: é necessário que a cabina do elevador tenha corrimão para garantir a segurança das pessoas com mobilidade reduzida durante o deslocamento.

Espaço interno: a cabina do elevador deve possuir dimensões mínimas de 1,10 m x 1,40 m, para comportar uma cadeira de rodas e um acompanhante.

Tempo de abertura e fechamento de porta diferenciados: os tempos de abertura e fechamento das portas precisam ser maiores que os convencionais, para que as pessoas com mobilidade reduzida possam entrar e sair da cabina com segurança.

Sensor de abertura de portas: esse item é essencial para evitar que as portas se fechem durante a passagem de pessoas com mobilidade reduzida.

Piso antiderrapante: o piso da cabina precisa ser de tal material que evite que idosos, pessoas com mobilidade reduzida e deficientes físicos escorreguem na cabina.

Anúncio de voz: o elevador deve ter anúncio de voz, através de um sintetizador de voz, para indicar no mínimo o andar em que a cabina está parada.

Espelho na cabina: o elevador deve ter espelho na cabina, para que os cadeirantes possam identificar qualquer obstáculo ao se deslocarem para dentro e para fora do elevador.

Conte com a Otis

Você sempre pode contar com a Otis para soluções em transporte vertical. A Otis oferece elevadores modernos, seguros e versáteis, que atendem a todos os tipos de pessoas com segurança. A linha Gen2 oferece elevadores acessíveis, com tecnologia de ponta, design moderno e sistemas de segurança.

Quando falamos em elevadores e soluções para diferentes estabelecimentos, é importante pensar não somente na locomoção de pessoas, mas também na inclusão de todas as pessoas a partir de um transporte tranquilo, confortável e seguro. Por isso, conte com a Otis para oferecer a solução ideal para o seu estabelecimento.

Agora que você já sabe que a Otis pode te ajudar com diversas soluções em transporte vertical, continue conferindo nossos conteúdos aqui no blog para aprender mais sobre elevadores.

Blog Otis Elevadores - Lideramos a indústria de transportes verticais

[]